O Ano Chegou ao Fim… Socorro!!

Faz tanto tempo que não escrevo que nem sei em que ponto da minha vidinha mais ou menos eu parei.

Então vou começar por este, exato, momento… Ano Novo e eu completamente desesperada e perdida!! Sem promessas, metas ou planos… Literalmente sem Norte!

Acabei o Ensino Médico com méritos e prestígio a melhor aluna da escola, mas… A “melhor aluna” não é tão boa assim… Agora quando alguém me perguntar o que estou fazendo ou quando precisar preencher, um simples, formulário no campo “Profissão” vou ter que dizer NADA…

Comecei perdendo os prazos das inscrições dos vestibulares, depois perdi dinheiro na incrição da Fuvest para Medicina, a única que me increvi, só porque tinha certeza que não passaria. E terminei com um empenho péssimo,que não condiz com meu currículo escolar, no ENEM.

E tudo isso por que? NÃO TENHO A MENOR IDÉIA DO QUE FAZER!!!

Não sei nem se quero humanas, exatas ou seja lá o que for. Ah, meu teste vocacional não me ajudou… Indicações vagas, recheadas com tantas opções que voltei ao ponto zero.

O pior é que eu não sei nem se quero fazer faculdade!!

Algumas amigas me disseram pra tirar esse ano de folga e aproveitar para viajar e conhecer o mundo, mas minha melhor amiga acha um absurdo eu perder esse tempo precioso. Afinal, com o histórico escolar que tenho entraria facilmente na Universidade e no Curso que escolhesse, só que não…

Apesar de tudo, um pouco antes da prova da Fuvest tive uma conversa com minha mãe. Uma conversa espantosa tanto quanto exclarecedora que vou contar em outro momento. Nossa relação é outra desde então, o que está sendo ótimo!!

E é assim que vou começar 2014 sem saber pra que lado vou e com a certeza de que não estou só.

Espero que isso seja um bom começo ;)

Beijinhos
Nina

Ps: esse ano eu me livro da minha virgindade!! Isso é meta kkkkkkk

Criança Curiosa

Estou à caminho da escola quando paro em frente a casa e me perco em sua movimentação. É a segunda vez que vou para escola sozinha, me sentindo muito dona do meu nariz, no auge dos meus 10 anos.

Todas as vezes que mamãe me leva para a escola ela não me deixa ficar parada, na verdade ela faz outro caminho para não passarmos em frente a casa. Ela me chama atenção dizendo que eu a faço passar vergonha, pois fico parada como uma estátua em frente das casas e das pessoas onde quer que estejamos.

Como ela não consegue entender? Adoro ficar observando o movimento das casas. Fico pensando O que estará acontecendo lá dentro?”, “Será que alguém brigou?”, “Será que hoje é um dia bom?”, “E se eu morasse aí?”, “E se eu entrasse?”, “Seria pega ou aceita? Quando contei isso mamãe logo disse “Ehhh Sabrina sabida!! Pare de bobagem! Não tem como você ter nenhuma dessas respostas… Onde já se viu? Por acaso você não gosta da vida que tem?”.

Enquanto as palavras de mamãe passam pela minha cabeça, meu corpo obedece meu coração curioso. Vou entrando pela garagem, que naquele horário fica aberta com um carro ligado, vou contornando o carro abaixada para que o motorista não me veja. Paro no pé de uma escadinha que de um lado dá para o jardim do outro para uma entrada lateral da casa. Meu coração parece que vai estourar meu peito. Sinto uma mistura de felicidade e medo.

Escolho sair pelo jardim para me manter escondida, mas ao me virar estou no meio de um gramado enorme quase sem fim. Em desespero corro para a casa. Ufa! Começo a andar grudada na parede até encontrar uma porta de vidro imensa. “Como vou passar por ela?” minha mochila começou a pesar, escondo-a entre dois vasos grandes perto da porta e entro na casa.

Parece que não tem ninguém. Ela é muito maior e mais bonita do que eu imaginava! No sala que entro tem três jogos de sofás que formam pequenas salas. Parecem macios…. Do lado esquerdo começa um corredor muito amplo e iluminado. As paredes são de vidro e dá para ver o gramado lá fora!!

Meu Deus!! Por que as portas aqui são tão grandes? Passo por uma sala espaçosa que parece um escritório. Entro, é tudo cinza e tão sombrio que me dá medo… Continuo no corredor e a próxima porta é de uma biblioteca gigante!! Só tinha visto uma parecida em filme. Alias me lembra a biblioteca da Fera da Bela e a Fera. Poltronas vinho, grandes e confortáveis, uma mesa perto da janela e um divã. Procuro por fotos, mas ainda não encontrei nenhuma.

O corredor acaba em uma sala de jantar esplêndida com as três parede de vidro com vista para um belo gramado e uma piscina ao fundo. Escuto vozes… Saio correndo até a sala e subo as escadas. Nossa!! Meu coração está a mil!! Como ninguém veio atrás de mim… Começo a perceber que por aqui estão os quartos e a contar pelo número de portas são muitos, uns 5…

Vou caminhando com mais cuidado, vai que tem alguém dormindo… Os primeiros quartos estão com as portas entre abertas e são simples cada um com uma cama de casal, acho que são de hóspedes “será que eles recebem muitas visitas?”, “Família ou amigos?” As outras portas estão fechadas. Encosto o ouvido na porta e não escuto barulho. Coloco a mão a maçaneta respiro fundo e viro. É um quarto de bebê! Todo branco com um berço no meio vários brinquedos. Tudo tão arrumadinho que parece que não foi usado. “Por onde será que anda esse bebê? – Será que ainda não nasceu?” Vejo uma prateleira com algumas fotos, “finalmente!” São três fotos todas do mesmo bebê Azul! ” Como assim?” O outro quarto é de uma jovem bem arrumado e com um mural cheio de fotos. A menina que aparece em todas as fotos não é azul, “então eles não são de outro planeta ainda bem!” Ela é bonita loira, olhos grande e está sempre sorrindo.

Sinto cheiro de comida deve estar perto da hora do almoço e eu estou faminta, o último quarto está trancado. Decido ir embora, já vi bastante… Começo a descer a escada e me lembro da piscina, “como será atrás da casa?” Resolvo verificar, afinal já estou aqui mesmo.

Atrás da casa é um clube, com tudo o que se tem direito. Piscina, sauna, salão de jogos e sala de ginástica. Vou chegando mais perto da sala de ginástica e nesse exato momento uma mulher muito parecida com a menina das foto me vê. Ficamos congeladas pelo nossos olhares, sem piscar… Ela se mexe primeiro e eu saio correndo como uma louca “O que vou dizer? O que vou dizer? O que vou dizer?”

Quando chego na porta para pegar minha mochila dou de cara com um homem, que me pega pelo braço e me leva para a sala. Lá dentro a mulher esbraveja “Você invadiu minha casa!! Queria roubar algo sua delinquente?” Outra empregada que parece uma governanta intervém ao meu favor “Calma senhora. É só uma menina e está com o uniforme do Colégio da rua de baixo. Podemos leva-la até lá.” A mulher me olha da cabeça aos pés e sentencia: “Vou chamar a polícia!” E sai da sala em direção ao escritório. Fico parada, de boca aberta sem pronunciar uma palavra, olhando os pés de todos e  pensando em minha mãe…

Sabrina

Laços Inseparáveis – Livro

20131030-105125.jpg

Tenho por habito levar o livro pela capa / ou porque gostei de algum paragráfo que li aleatória mente. Dificilmente sigo sugestões, embora eu até as procure, e não me atento muito a sinopse. E foi assim que escolhi esse livro e devorei em dois dias!!

Escrito por Emily Giffen. Sua escrita é simples e envolvente. Escreve na primeira pessoa das duas personagens principais, o que nos dá a dimensão de seus sentimentos, desejos, medos e frustações.

A história trata de família e de tudo que envolve esses Laços como assuntos e acontecimentos delicados depende do olhar e aprovação das pessoas que tanto amamos. O fato de ser uma histótia realmente possível e sensível a torna fascinante!!

Eu sei o que dizem sobre segredos. Sei tudo o que se diz a respeito. Que eles podem assombrar e perseguir você. Conseguem envenenar relacionamentos e diviNdir famílias. Que no final, somente a verdade pode libertar. Talvez este seja o caso para algumas pessoas e alguns segredos. (…) Eu deveria ter imaginado. Deveria ter acreditado com o fundo do meu coração naquelas palavras que deram início a tudo, naquela noite sufocante há tanto tempo: Você pode fugir, mas não pode se esconder.

Esse foi o parágrafo que me fisgou!!

E isso aí!!

Desabafo de Uma Mulher… na TPM

Normalmente sou uma pessoa muito paciente e bem resolvida com minhas escolhas. Decidi ser mãe em tempo integral, mas com isso tive que abrir mão de algumas comodidades no dia a dia. Não tenho cozinheira, nem babá, nem faxineira e muito menos passadeira. Tenho apenas um anjo que me socorre sempre que a coisa aperta e o dinheiro sobra, que vem e apaga o fogo, nada regular ou constante.

Não estou reclamando, como já disse, minhas escolhas foram conscientes e mesmo assim tem coisas que me irritam…

Me irrita ter que pensar em toda a logística e ainda ser chamada de chata e controladora;
Me irrita ter que decidir o cardápio as 8 horas da manhã, para que o tempo seja compatível;
Me irrita ter alguém chamando mamãe enquanto chora, por pura falta de opção do que dizer;
Me irrita ter que dividir meu tempo em 4, sendo que nenhuma parcela dele será dedicada à mim, nem por 5 minutos de puro ócio;
Me irrita ter que estar linda e disponível o tempo todo, como se fosse responsabilidade MINHA a fidelidade DELE;
Me irrita não poder contar com minha mãe, que está sempre muito ocupada com seus compromissos e se esquece que precisou de ajuda quando eu era pequena;
Me irrita ter que explicar para as pessoas o porquê escolhi ficar em casa e abrir mão de uma “carreira brilhante”;
Me irrita não poder jantar com uma amiga sem que para isso tenha que acionar a NASA para me ajudar com as crianças;
Me irrita não ter o mínimo de privacidade, não conseguir tomar banho e nem ir ao banheiro, fazer cocô, sozinha;
Me irrita não ser capaz de mudar isso e ainda ter que explicar o porquê que essas coisas me irritam!!

Em um dia comum respiro fundo e sigo em frete, mas na TPM…

Tenho vontade de BERRAR!!!

20131022-005832.jpg

Malu

Play List – Gosto Musical de 40 Anos

20131022-062441.jpg

Eu já sei que não sou normal, mas agora estou começando a perceber acreditar que na verdade sou uma chata.

Enquanto todas as minhas amigas gostam de Lady Gaga e Katy Perry eu gosto de Chico Buarque e Rita Lee. Sou do rock e amo Marisa Monte.

Gosto do som da guitarra, espero ansiosa a entrada da bateria e me perco na voz da Marisa. Não uso preto nem bota coturno, nem pircing ou tatuagem por todo corpo e muito menos pertenço à uma sociedade alternativa que frequenta a Augusta. Sou apenas uma menina romântica.

Outro dia lendo um Playlist comecei a pensar nas músicas que eu gosto e quase tive um treco!! Parece que meu gosto musical tem 40 anos!!!

Minhas músicas preferidas são:

Infinito Particular – Marisa Monte

A soma perfeita da voz da Marisa Monte com os acordes, nada convencionais, me transportam para outra dimensão!

Unforgiven – Metallica

O início dessa música é simplesmente estonteante!!

Dançando – Agridoce

É a Pitty em um estilo mais romântico e uma batida menos rock in roll. Sou fã da voz e das letras dela!!

Exato Momento – Zé Ricardo

Adoro tema de novela!

Pura Bossa Nova – Sérgio Brito e Rita Lee

Ficou uma delícia essa combinação!!

Fazer o que? Gosto de perceber os instrumentos usados, sentir os acordes na alma e sonhar com a canção.

Bijinhos
Nina

Final de Semana em Família – Overdose Psicológica

Hora do almoço, sento no meu lugar de sempre na mesa e espero até que todos se acomodem para começar a me servir e sentir um pouquinho de prazer nesses dias de descanso.

Minha mãe está impecável, uma calça justa cinza chumbo, blusa de linho amarela mais solta, colar de pedras marrons comprido e seu spiller marron, isso sem falar no seu cabelo e maquiagem. Ela sabe ser elegante mesmo em um almoço em família. Minha irmã segue a mesma regra mesmo com 2 filhos ela continua simplismente linda! Meu pai é mais tranquilo com a aparencia, mas minha mãe não permitiria que ele aparecesse de bermuda e camiseta em uma ocasião dessas, então ele está todo elegante parecendo um jogador de golfe. Ela também exerce esse poder sobre mim, me arrumei a seu gosto e me maquiei como há muito tempo não faço.

Começo a comer meu gnocce recheado, adoro esse prato, me lembra a infância… Cheiro de molho de tomate e bincadeiras à beiramar, quando surge a pergunta “Como está sua vida amorosa?” Quase engasgo, “como assim? Que invasão é essa?” Mas mamãe não entende o recado, do meu engasgo, e espera paciente pela resposta. Quando falo que continua igual, todos me olham com piedade, e tenho que lembrar que estou feliz, trabalho no que gosto, prático esporte e que nada é melhor do que chegar em casa e encontrar o silêncio.

Detesto ser o assunto da mesa! Clara, minha irmã, vem em meu socorro e começa acontar as últimas gracinhas e peripercias dos meus sobrinhos. Sorrimos em cumplicidade. Quando eramos crianças, mesmo sendo a mais nova, ela me protegia do controle e dos excessos de nossa mãe.

Desde que Clara se casou e eu fui morar sozinha minha mãe instituiu o almoço em familia, um evento similar ao Natal. Passamos um final de semana em nossa casa de praia ocupando nossos antigos quartos de meninas e revivendo nossas vidas de meninas que não nos cabe mais. Cada um tem que fazer um prato para as refeições.Tem até presentes no final do domingo. Tudo orquestrado pelo bom gosto de mamãe.

Saiu dos meus devaneios com minha mãe me oferecendo mais comida e recuso dizendo educadamente que estou satisfeita. Ela me olha como se pudesse ver minha alma e sorri falando docemente que eu preciso me alimentar melhor e que minha magreza já deixou de ser bonita. Respiro fundo e pego mais um pedaço de carne.

Depois do almoço vamos à praia, adoro esses momentos de meia solidão, fico vendo o mar e penso na Casa Amarela. “O que será que tem ali? Quem será que mora lá?” Meus sobrinhos estão correndo e jogando areia e água em todo mundo, minha irmã se joga ao meu lado e me olha, já sei que ela descobriu meu segredinho. Conto sobre os recentes acontecimentos da Casa, ela me olha chocada como se falasse “Vai acontecer tudo de novo!”. Tento traquiliza-lá que não sou mais uma criança, embora continue curiosa, tenho meus compromissos e nem tenho tempo para qualquer outra coisa.

Um de seus filhos a chama, por sorte, Clara me lança seu olhar mais controlador e ameaçador. Sei que nossa conversa não terminou.

Me jogo na areia e fecho os olhos para a imensidão azul do céu. Gosto desses encontros me sinto acolhida, é como voltar no tempo. Nada mudou, minha mãe continua a controlar tudo, inclusive eu, como pode? Meu pai prefere ler um jornal à se colocar e acaba aceitando tudo de todos e minha irmã, minha cumplice e amiga ainda me acha meio esquisita. Já desejo a liberdade da minha casa, mas ainda tem a troca de presentes. Respiro fundo e me aproveito do ar marinho que chega até mim.

Beijos
Sabrina

Um Pesadelo – Ser Deixada

20131014-182059.jpg

Ontem tive um daqueles sonhos tão reais e cheios de detalhes que assustam. Principalmente porque acredito que os sonhos dizem alguma coisa sobre nós. Vou contar como foi..

Começou com meu marido viajando como de costume e eu falando para alguém, não me lembro quem, que ele estava muito estanho e que eu tinha o nome da mulher que ele estava saindo.

Então decido viajar para encontra-lo e com a facilidade de transporte que só acontece nos sonhos, me vejo em um lugar e a dita mulher vem ao meu encontro.

Me recebe como uma ótima anfitriã e me acolhe em sua casa, casa essa que está morando com meu marido, passamos o dia passeando como se fôssemos velhas amigas.
A noite meus filhos agora estão presentes e dormimos todos em um quarto como convidados da tal mulher

Na madrugada ela aparece de babydoll azul marinho, linda seu corpo impecável tudo no lugar e do tamanho certo, seus cabelos loiro compridos devidamente escovado e seus olhos azuis intensos, chamando meu marido para deitar com ela, pois está com muita vontade de “fazer amor”. Minha presença não a intimida.

Nessa hora passa mil coisas pela minha cabeça entre elas que faz muito tempo (se é que em algum momento de nosso relacionamento isso aconteceu) que não acordo durante a noite para namorar, que nossos momentos a dois estão cada vez mais escassos, que estou cada dia mais cansada e com menos tesão, que foi por isso que ele começou a sair com essa mulher. Me sinto traída, deixada, trocada…

Levanto da cama e vou correndo atrás deles disposta a fazer qualquer coisa, o que for preciso, para ter meu marido de volta. Quando o encontro já estamos em uma sala assistindo uma comédia sem sentido.

Então o pergunto como eles se previnem, eis que a resposta cai sobre mim como uma bomba: “ela é naturalista e não faz prevenção nenhuma deixa por conta do universo”. Isso me ofende mais ainda, mais do que a própria traição, pois e se ela engravidar? E como ele pode confiar assim nela? E eu?

Saiu correndo da sala segurando as crianças pelo braço e quando ele vem atrás de mim digo para que fique, então a vejo sentada com as pernas sobre o sofá com os cabelos loiros, seu babydoll de seda, seus olhos azuis sedutores e um sorriso sarcástico e sensual.
Ele volta para ela, e então o puxo para sair comigo. E pergunto se ainda me ama e ele apenas me olha e me coloca em seu colo… Começo a chorar aos soluços, pois já sei a resposta.

É chorando que volto para a realidade com um misto de alívio e angustia. Meu marido não está em casa, saiu à trabalho há dois dias e só volta amanhã… Não consigo parar de pensar nesse sonho. E se acontecer? O que será da minha vida?

Mando uma mensagem transbordando meu amor e organizo mentalmente uma recepção callente romântica: levar as crianças na escola e o Pedrinho para minha vó, tarde no cabeleireiro, buscar as crianças e levá-las para dormir na casa da minha irmã, voltar e preparar a casa com velas perfumadas, jantar e flores.

Começo a me sentir melhor. Faz tanto tempo que estamos juntos… Não consigo imaginar minha vida sem ele… Não, não é constume ou me acomodei com sua presença/ausência… Eu o amo de verdade!! Não quero perde-lô, nunca!!

Beijocas
Malu

Flores Raras

20131010-085847.jpg

O filme Flores Raras conta a história real de uma rica arquiteta brasileira, por vocação, que se apaixona por uma escritora americana problemática em pleno golpe militar.

A trama mostra uma mulher muito bem resolvida que assume sua homossexualidade em um tempo que isso era inaceitável. No começo ela mostra uma facilidade em entender e lidar com questões até hoje complexa como a possibilidade de se amar duas pessoas – ela ama sua companheira atual com quem pensa em construir uma família ao mesmo tempo que se apaixona loucamente pela escritora americana. Porém, quando a escritora começa a não corresponder essa paixão, por n motivos, e ela descobre que está dividindo-a com outra mulher, se perde completamente chegando a loucura.

O filme não trata de homossexualidade ele fala de amor. De uma forma muito delicada e perfeita. As mulheres envolvidas não perdem seu ser mulher continuam a usar brincos, saias e maquilagem. Fica claro que as pessoas são como são e que sua personalidade não é definida por serem ou não gays.

No final do filme, que super recomendo, saí com a certeza de que todos queremos ser os únicos na vida de alguém, da mesma forma que buscamos uma pessoa especial queremos ser essa pessoal especial.

Ficha técnica:
Filme de Buno Barreto.
Elenco: Glória Pires e Miranda Otto
Legendado (a maior parte do filme é em iglês)

É isso aí!!!

Um Conto de Fadas para Chamar de Meu

20131008-082505.jpg

Se eu pudesse escolher um Contos de Fadas para mim escolheria, releitura da Rapunzel, os Enrolados da Disney.

Essa história é linda e fantástica!! A princesa consegue ser a heroína da própria vida e não fica a mercê do tempo ou de qualquer coisa que o valha a espera, mortífera, de um príncipe.

E o seu eleito, então? Não pertence a nenhuma família real e muito menos está a procura de donzelas indefesas para levá-la para seu castelo e ser felizes para sempre. Ele é um anti herói dos bons!

Acho que o que me encanta nessa história é como o amor pode ser tratado de uma forma simples e real. Sem amor a primeira vista, sem submissões exageradas e com os conflitos dignos do dia-a-dia.

As pessoas me falam, a todo momento, que príncipe não existem  e eu sei disso! Só que não é uma opção minha meus “relacionamentos”, se é que posso chamar assim, não passar do segundo encontro. Eu gostaria que fosse diferente…

Só quero encontrar o meu príncipe. Ele não precisa ser de família e nem ser bom, quero apenas que seja meu e que acenda as lanternas do meu coração.

Sabe aquele amor que te dá coragem de jogar tudo para o alto? É desses que eu quero viver!!

Quero amar e enlouquecer!!

Beijinhos
Nina